Das ínfimas formas de vida

insetos

Tem um mini inseto na minha tela, ele pula bem mais longe do que eu consigo. Dentro das proporções humanas seria impossível saltar tão longe, em compensação ele não sabe escrever, neste sentido talvez meu pulo seja muito mais alto que o dele. Foi atraído pela luminosidade da tela, que no momento é a única luz do recinto escuro, um quarto, meu quarto de dormir. As luzes apagadas e apenas a tela acesa, clareando tudo com sua luz azulada.

Uma criatura humana ronca mais alto do que qualquer porco. Digo isso porque neste instante um homem dorme em minha cama, mas poderia ser só uma britadeira ligada na tomada. O inseto me faz companhia nesta madrugada em que minha cabeça parece ter sido ligada na voltagem errada, se fosse um carro já tinha se estraçalhado na primeira curva.

Não sei qual a função deste inseto na natureza, ele caminha como eu e a luz o atrai não sei porque motivo, embora eu também me atraía por algumas coisas, principalmente as que me dão prazer e alegria, se bem que me atraio por coisas que podem me matar também e imagino que o inseto neste momento esteja sobre a minha tela pelo mesmo motivo que eu fumo cigarros e bebo antes de dirigir. Se eu quisesse poderia matá-lo com meu dedo indicador, bastaria que pressionasse seu corpo contra a tela e pronto, um inseto a menos no mundo. Eu sou uma predadora e ele sabe disso, mas deve sentir um prazer insuportável ao caminhar por um chão todo luminoso. Então olhando pra essa vida concentrada no espaço de uma cabeça de alfinete e que a maior parte das pessoas não hesitaria em matar sem nem mesmo saber se é um bicho perigoso ou inofensivo, penso na minha própria vida e em minha insignificância tremenda. Até a pessoa mais importante entre as mais importantes do mundo pode ser esmagada por qualquer coisa, quem sabe até um dedo indicador de uma mão invisível, embora acidentes de trânsito, doenças e guerras matem mais do que causas misteriosas.

Agora meu companheiro da madrugada caminha sobre a barra de ferramentas do Word, me parece que exatamente sobre uma linha. Ele sabe andar em linha reta, isso deve indicar alguma inteligência. Quando chegou no comando exibição, pulou para o meio da página.

Fui ao banheiro e ouvi barulhos estranhos no teto, me pareceu um animal que corria e tive calafrios, e se for um rato? Se for, possivelmente está lutando para escapar de algo ou alguém, são passos leves de um corpo leve e também são muito rápidos.

Saí para fumar um cigarro e quando ergui a banqueta lá de fora flagrei dois sapos um sobre o outro, o de cima bem menor que o de baixo. Não era sexo, mais parecia uma peruana levando seus filhos amarrados nas costas.

Me enchi de ternura e desisti de fumar.

Anúncios

Um comentário sobre “Das ínfimas formas de vida

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s