Experiência: Vestido de Noiva

Há pessoas que usam experiências de vida para discorrer sobre sua história. Considero-me uma delas. Nesta, em especial, fui personagem, protagonista e agora narradora.

***

Outono de 2014

Tinha a sensação de assistir um filme fora do meu próprio corpo: observava à distância a moça de pele morena e cabelos com luzes em tom de mel. Era uma noite qualquer, quase início de inverno, lá pelas sete, oito horas; minhas memórias não estimam o horário ao certo. Sentada em frente ao mar, me via diante de um único caminho. As lágrimas surgiam e não conseguia cessá-las. Permaneci ali por horas, como se não acreditasse no que acabara de ouvir. Imaginava que depois de passarem os créditos, viriam cenas do making of, erros de gravação ou algo que fizesse surgir uma nova oportunidade de desvendar aquele enredo.

***

Inverno de 2013

Primeiro foram as visitas aos apartamentos. Dois quartos ou somente um? Era meio confuso administrar a escolha de algo suposto a ser eterno. Compra jornal daqui, procura em outra cidade; liga para uma imobiliária, tira foto de placas fixadas em prédios a caminho do trabalho. Por vezes era cansativo, além disso, o medo de sair da zona de conforto caminhava junto à alegria de entrar em uma nova vida. Era estranho viver nesta dualidade, mas hora ou outra me pegava sorrindo sem motivo. 

Logo começaram as listas: convidados, presentes, utensílios domésticos. Medo. Chá de cozinha, imobiliárias. Medo novamente. E a mãe, como fica? Estou no caminho certo? As preocupações e dúvidas logo deram prioridade à realização daquele sonho.

***

Verão de 2014

Início de ano é sempre propício à renovação de planos. Então, dentre as possíveis igrejas, escolho a que por si só transpunha beleza, junto às flores então, ficaria ainda mais deslumbrante. Após agendar a data, recebo um manual com as regras da cerimônia: coral somente X, Y e Z. Mas e se eu quisesse uma entrada simples e instrumental, como ficaria? Ok, não ficaria. Mais três noivas escolheram aquela data e já no dia seguinte recebo uma mensagem de uma delas me inserindo num grupo de whatsapp. Pronto, era dada a largada aos preparativos. Só se falava de trajes, lembranças e coral; este também seria dividido entre nós quatro. Nunca imaginei existirem tantos detalhes para um só dia. Visitas a salões de festa e flores para decorá-lo. Lembranças para padrinhos, assessoria para o evento. Desde quando seria um evento? Eu só queria saber de comemorar junto aos amigos e família. Que os fotógrafos pudessem captar a alegria que invadiria nossos corpos naquele dia. Imaginava meus cabelos presos num penteado todo para o lado direito, combinando com o vestido que deixaria minha cintura bem marcada. Em meus olhos o delineador realçaria o batom rosado, exibindo meu sorriso mais intenso. Da porta de entrada da igreja, eu correria os olhos por entre os convidados e então buscaria os dele. Ao meu lado estaria a minha mãe. Fugiria do tradicional, eu sei, mas somente ela estaria à altura daquele momento.

***

Inverno de 2014

Daqui seguimos. Sozinhos. A frase ecoava a todo tempo dentro de mim. Tal como a estação, foram os dias e meses seguintes. Dentre os sentimentos que me perseguiam, a dor que a saudade impunha sobre o meu corpo, era a de mais difícil discernimento. Optei por vivê-la na íntegra, sem dividir com quem quer que fosse. Tinha esperança que o sofrer fosse finito e logo viria a cura.

***

Verão de 2015

Com o passar dos meses foi mais fácil compreender os fatos. Os sentimentos começaram a ser excretados em pequenos trechos, soltos, sem sentido. Algo neles, começava a despertar  um desejo esquecido dentro de mim. Quanto mais escrevia, mais livre ficava. Era como se um pedaço daquela tristeza fosse liberado ao mundo, a cada novo parágrafo construído. A Mãe ajudou a ligar aos fornecedores, já que a parte mais densa era falar sobre sem chorar. O valor pago pelo equipamento de som e DJ, e pelas flores da decoração ficariam com uma amiga querida e seriam usados em outra comemoração. É paradoxal, mas junto à dor surgem mãos estendidas e ombros verdadeiros. Os fotógrafos, escolhidos pela originalidade em seus registros, agora trariam as emoções do casamento do primo. Mas e o vestido, o que faria dele? Por ironia do destino, veio de sua venda o resgate de um sonho. Daquele símbolo, de um só dia, viria o primeiro passo para a transformação de uma vida. As palavras, antes listadas em textos perdidos, logo encontrariam técnica. Seria história. Recomeço.

Vestido

Anúncios

34 comentários sobre “Experiência: Vestido de Noiva

    • Olá, Dona Lourdes! Que bom tê-la por aqui! ❤ Sim, sempre é tempo de renovar os sonhos e sair em busca de realizá-los! Obrigada pela leitura! Um beijo!

      Curtir

    • Olá, Anna Paula! Obrigada pelo carinho! Te convido a conhecer os textos dos outros autores também, tenho certeza que vai gostar! Um super beijo!

      Curtir

  1. Tão lindo, tão suave… incrível deixa a sensação maravilhosa de acreditar que seguir em frente deve e tem de ser feito sempre. Parabéns Lari, só posso te aplaudir e pedir escreve mais que já estou com vontade de ler.

    Curtido por 1 pessoa

    • Rê, obrigada pelo carinho e por sempre se fazer presente! Acredito que o caminho é este, utilizar as experiências de lições e seguir, sempre! Um beijão!

      Curtir

  2. Parabéns filha você é muito especial! A cada dia sinto mais orgulho de você. Fiquei emocionada ao ler o seu texto,pois as lembranças vieram a minha mente. Muito sucesso nesse novo caminho !

    Curtido por 1 pessoa

    • Mãe, só me cabe agradecer o carinho e incentivo de sempre! Desde os livros quando criança até os abraços de hoje. Te amo! Um beijão!

      Curtir

  3. Incrível, parece ficção! Adorei a forma que você construiu o texto e sobretudo a sua escrita. Uma história e tanto. A vida tem mesmo seus mistérios mas em algum momento tudo faz sentido. Parabéns!

    Curtido por 1 pessoa

    • Olá, Cynthia! Muitas vezes desconhecemos os caminhos, mas quando chegamos ao destino tudo se encaixa. Um beijo e obrigada pela leitura!

      Curtir

  4. Lindo texto Lari, a vida é cheia de surpresas, né?! Quantos momentos, tantos sentimentos e muitas expectativas. E lá na frente percebemos o quão fortes fomos.
    Parabéns, que você continue se expressando lindamente!
    Beijos

    Curtido por 1 pessoa

  5. Parabéns prima pelo texto maravilhosamente escrito com muitos sentimentos passados a todos que leram, através dele eu pude ver a mulher linda e guerreira que você se tornou e que a cada dia continua crescendo , crescendo como pessoa ,como profissional …. Que Deus realize os seus sonhos e te guie no melhor caminho, estarei sempre torcendo e orando por você! ! Muito sucesso. .. bjos

    Curtir

  6. Lari, conversamos brevemente no nosso ultimo encontro, acabei de ler novamente esse texto, realmente fico emocionada toda vez que eu leio, só uma coisa, nunca pare de escrever. Da sua sincera fã Mari =D

    Curtido por 1 pessoa

    • Poxa, Mari, assim você desmorona meu coração! ❤ Pode deixar que a escrita faz parte da minha essência, pele e alma e está para sempre impregnada em mim. Obrigada pelo carinho! Um beijo!

      Curtir

  7. Larissa sou discreta no observar. As vezes nem notada. Mas percebi mesmo sem saber o quê! !! Gosto dessa moça forte e determinada que tornou-se , voe Lari,voe . ..Você agora é Águia que sabe que acima das nuvens pesadas e escuras o sol te recompensa com seu brilho.

    Sou sua fã

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s