Ações e versões

Dra. Lygia, bom dia.

Um amigo em comum, Carlos Pereira, passou-me seu contato. Gostaria que me orientasse sobre a guarda de meu filho. Minha mulher me abandonou e ao próprio filho, uma criança de seis anos. Isso faz quatro meses. Agora apareceu dizendo que vai entrar na justiça para ficar com a criança. Ela estava me traindo, mas não tenho como provar. A pergunta é: ela pode conseguir a guarda do meu filho?

Por favor me oriente, estou perdido.

Desde já agradeço.

Luiz dos Santos

Caro Sr. Luiz, boa tarde.

O procedimento nesses casos é entrar diretamente com processo de divórcio. Sugerimos aos pais uma decisão sensata em caso de ser chamado o Poder Judiciário a estabelecer a guarda da criança.

Procure constituir um advogado, de preferência especializado em separação e divórcio, ou, caso não possa arcar com honorários, recorra à Defensoria Pública.

At.,

Lygia Andrade da Rocha Reis e Silva

OAB/BA 402.204

…..

Dra. Lygia, boa tarde.

Obrigado pela orientação. Carlos disse que a senhora me ajudaria. O fato é que sou um bom pai, um bom marido, frequento a igreja, sou caseiro e muito carinhoso com minha família. Não entendo onde está o meu erro. Essa situação é muito dolorosa para mim e para meu filho. Não acredito como ela teve coragem de nos abandonar. Suspeito de traição com um colega dela de trabalho. Mulher que trabalha fora dá nisso. Pedi tanto para ela largar aquele trabalho e ficar em casa que era melhor para todo mundo, a gente brigou muito por causa disso. Já tive vontade de bater nela, mas me segurei. Agora tenho que me virar entre trabalhar e cuidar do menino. Se não fosse Marisa nem sei o que teria acontecido. Ela tem me dado muito apoio depois que minha mulher abandonou o lar.

Foi um desabafo. Vou pedir folga amanhã para resolver isso.

Que DEUS lhe abençoe.

Luiz

Sr. Luiz, bom dia.

Seu advogado vai lhe orientar melhor.

Lembranças ao Carlos.

At.,

Lygia Andrade da Rocha Reis e Silva

OAB/BA 402.204

….

Dra. Lygia, desculpa mais uma vez, mas minha mulher apareceu dizendo que veio buscar o menino. Depois de lutar tanto esses meses ela quer levar o meu filho com ela e quer que eu pague pensão. Acusa-me como se eu tivesse provocado essa história toda. Falou da história dos dentes, mas não foi minha culpa, perdi a cabeça. Isso tudo aconteceu porque ELA me traiu e saiu de casa dizendo que queria “liberdade”. Agora quer a guarda do meu filho e estipular dia para visita. Estou desesperado! A Marisa me apoia muito, sabe? Cheguei até a me abrir com minha mãe e ela tem razão quando diz que nem toda mulher tem vergonha na cara e que esse tipo de mulher não deveria ser mãe nunca. Sei que a justiça não tem a função de formar caráter de ninguém, caráter vem de berço, mas minha vontade era que essa sujeita fosse presa e mofasse na cadeia. Preciso saber, Doutora, ela tem chance de conseguir a guarda do menino? Caso isso aconteça, ao invés de pagar a pensão posso me comprometer a pagar o colégio ou plano de saúde dele? Não vou entregar dinheiro nas mãos dela para gastar com seu amante. Tenho certeza que ela não quer a guarda do meu filho, quer apenas a pensão.

Luiz

Sr. Luiz, boa noite.

Entrar com pedido de divórcio é necessário. Procurar um advogado também. Ele vai lhe ajudar com os detalhes da inicial, lembrando que os direitos dos filhos nunca são afetados.

At.,

Lygia Andrade da Rocha Reis e Silva

OAB/BA 402.204

Dra. Lygia, ontem mesmo já tive uma conversa séria com meu filho. Falei logo tudo o que a mãe era, o que ela fez com a gente, que ela me abandonou e a ele também, que era uma puta e que não merecia o amor dele. Que a gente vai enfrentar o que vier juntos e com minha mãe e a Marisa ao nosso lado. Que ser mãe não é isso, ser mãe é dar a vida pelo filho, é deixar tudo para trás para cuidar do filho. Mãe de verdade nunca abandona a família, mãe cuida. Vou na delegacia, vou na justiça, vou em qualquer lugar para não deixar o menino com essa “mãe”. Se ela achava um inferno viver comigo, agora vai saber o que é o inferno de verdade. A propósito, gostaria de saber se a senhora quer ser minha advogada. Não tenho muito dinheiro, mas dá para pagar um advogado para colocar essa mulher sem valor no lugar dela.

Aguardo,

Luiz

Sr. Luiz, boa tarde.

Sua ex-esposa esteve em nosso escritório hoje pela manhã a pedido do Carlos. Relatou-nos as situações que o senhor e sua mãe a expuseram durante os dez anos de casamento, incluindo o assédio moral ao longo desse período, e como o senhor manteve um relacionamento paralelo nos últimos quatro anos com a senhora Marisa.

O senhor receberá intimação em breve para comparecer ao Juizado da Infância e Juventude a fim de responder denúncia por alienação parental. Ato contínuo, entramos com ação de guarda unilateral de menor com pensão alimentícia e direito de visitas supervisionadas, bem como ação de danos morais pela sua conduta com referência a sua ex-companheira.

E, por fim, sugiro seguir a orientação inicial de constituir um bom advogado.

At.,

Lygia Andrade da Rocha Reis e Silva

OAB/BA 402.204

Anúncios

Um comentário sobre “Ações e versões

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s